Plano de saúde cobre cirurgia plástica? Descubra agora!

4 minutos para ler

O número de realização de procedimentos cirúrgicos tem crescido cada vez mais no Brasil e no mundo, tendo em vista o desejo de as pessoas realizarem alguma mudança em seus corpos, tanto por estética quanto por recomendação médica. No entanto, entre as principais dúvidas em relação a esse processo é se o plano de saúde cobre cirurgia plástica.

É verdade que, em alguns casos, essa cobertura realmente existe, e para explicar melhor quando isso acontece, elaboramos este conteúdo. Confira!

Em quais casos o plano de saúde cobre cirurgia plástica?

De acordo com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), as cirurgias reparadoras devem ser cobertas pelo plano de saúde, que são aquelas realizadas com a finalidade de corrigir deformidades ou defeitos (congênitos ou adquiridos). Ou seja, com o objetivo de reconstituir uma parte do corpo humano por questões médicas, o que as diferem da cirurgia estética, que é feita com o intuito de alterar algo em sua aparência.

Entre as cirurgias plástica que os planos de saúde são obrigados a cobrir, conforme a ANS, estão:

  • reconstrução de mama: para mulheres que realizaram mastectomia e com diagnóstico de câncer de mama e demais lesões traumáticas;
  • cirurgias bariátricas: quando comprovada obesidade mórbida do paciente;
  • redução de mamas: nos casos em que o tamanho das mamas afete diretamente a saúde do paciente, por exemplo, levando a problemas na coluna;
  • cicatrizes, queloides, queimaduras: com a finalidade de reparar consequências de um problema de saúde. Apesar de ter um sentido mais estético, elas podem influenciar bastante no bem-estar da pessoa;
  • blefaroplastia: a orientação clínica pela cirurgia ocorre nos casos em que o caimento da pálpebra gere riscos à visão do paciente;
  • retirada de excesso de pele: destinada aos pacientes que passaram pela cirurgia de redução do estômago para tratar da obesidade mórbida;
  • órteses, próteses e apêndices ligados à cirurgia plástica.

Como é feita a solicitação para a realização de cirurgia plástica pelo plano de saúde?

Nos casos de cirurgia reparadora, o plano deve disponibilizar a cobertura total ou parcial dos procedimentos. Então, é preciso que a adesão seja no formato ambulatorial hospitalar, assegurando que todos os exames e internação sejam cobertos pela operadora.

Para isso, é necessário fazer uma solicitação antes de realizá-los. Em situação de emergência, é possível, posteriormente, fazer um requerimento com o pedido do reembolso integral ou parcial da quantia paga pelo paciente.

Além disso, é preciso apresentar um encaminhamento médico informando que a realização da cirurgia reparadora é indispensável para a saúde. E, caso a operadora não concorde com o laudo apresentado, pode requisitar que um outro profissional avalie as condições médicas do paciente.

Diante disso, é importante ter em mente que se trata de um processo com muitas burocracias, o que gera uma lentidão. Em alguns casos, pode ser preciso recorrer ao judiciário para conseguir a liberação desse direito.

Agora que você entende quando o plano de saúde cobre cirurgia plástica, pode pesquisar sobre um que atenda suas necessidades. Por isso, antes de escolher o mais adequado, faça uma pesquisa sobre as coberturas a que tem direito e, assim, mantenha a segurança tão necessária nesses momentos.

Achou este conteúdo interessante? Então, aproveite sua visita para ler “O que considerar para escolher uma clínica de cirurgia plástica ideal?” e saiba mais sobre o assunto!

Posts relacionados

Deixe um comentário