Prótese e amamentação combinam?

3 minutos para ler

Afinal, prótese e amamentação combinam, ou existe algo que interfira ou comprometa a possibilidade de amamentar após a colocação da prótese de silicone? Essa é uma dúvida comum, especialmente para quem tem o sonho de ser mãe. Por isso, já adiantamos que, de forma geral, o silicone não impede a amamentação.

Essa possibilidade se tornou ainda mais verídica atualmente, já que o procedimento realizado para a implantação da prótese evoluiu. Hoje, a maior parte dos profissionais insere a prótese atrás das glândulas mamárias, o que não influencia a amamentação.

Considerando que o assunto gera muitas dúvidas, como citado no início do artigo, preparamos um post para ajudar em um maior esclarecimento. Continue conosco e saiba mais!

Prótese e amamentação: existe influência?

Conforme mencionado, de forma geral, é possível amamentar mesmo após a inserção da prótese de silicone ou até na mamoplastia redutora, sem isso trazer dificuldades ou influenciar no ato. Isso porque a cirurgia é realizada em uma área que não atinge as glândulas mamárias, responsáveis pela amamentação.

Assim, saiba que a teoria de que o material do implante é composto por um gel que pode interferir na qualidade do leite, ou até na sua produção, é um mito. Apesar disso, existem algumas circunstâncias em que o procedimento pode causar interferências, e você precisa ficar de olho nelas.

Quando a prótese de silicone interfere na amamentação?

A prótese de silicone, de modo geral, não causa interferência na amamentação quando o procedimento é mais simples. Porém, nos casos em que a paciente deseja reduzir a pele e corrigir a queda mamária, pode ser necessário a retirada da glândula mamária, o que tem a chance de influenciar na amamentação. 

Nesse caso, a amamentação costuma ser liberada pelo profissional seis meses depois da realização do procedimento. Assim, a região pode ser corretamente cicatrizada, e a prótese, adaptar-se adequadamente à pele, ao espaço e ao novo volume. 

De qualquer forma, tenha em mente que, após a gestação, é natural que os seios da mulher fiquem mais flácidos e caídos, mesmo que já tenha passado pela cirurgia de prótese de silicone.

Tem o sonho de colocar prótese de silicone, mas deseja engravidar?

Mesmo que a incidência de problemas seja baixa, é indispensável comunicar ao cirurgião se existe o desejo de engravidar brevemente. Afinal, como dito, o intervalo entre a gravidez e a prótese de silicone garante a segurança e a qualidade do implante.

Assim, a recomendação médica costuma ser de que quem deseja engravidar faça isso antes de inserir a prótese ou aguarde entre quatro e seis meses, depois de já ter feito o implante. Isso pode evitar complicações e dificuldades na hora do aleitamento.

Ao decidir entre prótese e amamentação, de qualquer forma, tenha em mente que, se você contar com profissionais, como os da FGV, dificilmente ocorrerão complicações, especialmente com a modernização das técnicas atuais.

O que achou do nosso post? Gostou? Teve dúvidas? Compartilhe seu comentário conosco e com demais interessados no assunto! 

Posts relacionados

Deixe um comentário